BLOG

Uma Narrativa do Brincar

06/05/2019


‚ÄúDescobrimos a vida dos √≠ndios!‚ÄĚ ...Uma narrativa do brincar

 

Profe, podemos brincar no matinho? Essa é a pergunta de todos os dias!

Em nosso território favorito brincamos, construímos, reinventamos e nos divertimos por tardes e mais tardes. Apropriando-se dos nossos momentos, eis que uma descoberta é feita...

Alguns meninos durante a brincadeira na casinha da árvore ao experimentar a mistura de elementos disponíveis naquele lugar, descobrem uma maneira de fazer tinta com pó de tijolo. 

Moem o material, buscam √°gua. Tentam encontrar uma combina√ß√£o, a quantidade adequada de ambos os materiais para que a tinta fique ‚Äúno ponto‚ÄĚ. Buscam equil√≠brio. Sem pressa.¬†

Olhinhos atentos a todas as tentativas. Durante um longo tempo, diálogos se dão, até que chegam a uma mistura satisfatória, na qual é possível se pintar. Passar no corpo. Pelo corpo.

Encantados estão. Eufóricos durante aquela pintura merecida, então escuto: - Descobrimos a vida dos índios!

Tinham produzido algo, próprio deles, das suas ideias, pelas próprias mãos. Havia expressão. Se identificavam naquilo que era concreto. 

Espontaneamente se organizam e a produ√ß√£o aumenta. Outras crian√ßas se juntam naquela brincadeira. Moer, buscar √°gua, misturar e pintar-se. √Č felicidade apropriada.

Então, algo me seduz e me disponho à pintura. Alguns dedinhos em meu rosto fazem riscos. Se divertem nas possibilidades, e eu aproveito aquele momento mágico que já não tenho mais disponível todos os dias. Cresci. 

Naquele momento percebemos a hora, e precisamos guardar os utens√≠lios utilizados. J√° est√° quase no fim do turno escolar e precisamos nos organizar para a sa√≠da. As crian√ßas se disp√Ķem a continuar a brincadeira no outro dia, ent√£o organizam-se para guardar separando o que ir√£o precisar. Os tijolos, armazenados como se fossem os √ļltimos da face da terra. Tudo com muito cuidado.¬†

Nossa rotina do fim do dia se dá em meio a sorrisos e diálogos sobre nossa brincante descoberta. Assim nos despedimos até o próximo dia.

Vivemos em uma sociedade acelerada, que precisa parar para olhar os detalhes e aprender a ver as in√ļmeras possibilidades prazerosas que a natureza tem para nos dar.

 

‚ÄúQuando as crian√ßas brincam e eu as ou√ßo brincar, qualquer coisa em minha alma come√ßa a se alegrar‚ÄĚ (Fernando Pessoa)

......................

Devaneios de uma professora encantada pelas narrativas da inf√Ęncia...

 

                                                          Prof.Francieli Umberti

 

FONE/FAX: (51) 3711-2144 | (51) 3056-8300
maua@maua.g12.br
RUA CRISTÓVÃO COLOMBO, 366 | SANTA CRUZ DO SUL / RS